Educação

Em comparação a municípios no mesmo porte, isto é, com população de até 100 mil habitantes, o resultado da última avaliação das escolas municipais de Pato Branco continua sendo superior. Em Francisco Beltrão e Cianorte, por exemplo, as notas de 2021 ficaram mais baixas, somando 6,3 e 6,2, respectivamente.

O Ideb relaciona as taxas de aprovação escolar, obtidas no Censo Escolar, com as médias de desempenho em língua portuguesa e matemática no Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb). Em um só indicador é reunido dois conceitos, com a mesma relevância para a qualidade da educação, sendo o fluxo escolar e as médias de desempenho nas avaliações.

Embora o índice obtido pela cidade tenha ficado 0,7 abaixo da última avaliação, que aconteceu em 2019, estão sendo realizadas diferentes processos pela Secretaria de Educação de Pato Branco com o objetivo de recuperação dessa estatística.

“A partir de avaliações diagnósticas bimestrais, identificamos as lacunas na aprendizagem dos alunos e assim, são programadas as recuperações paralelas das defasagens na proficiência de Língua Portuguesa e Matemática”, explica a Secretária de Educação de Pato Branco, Jusara Ritzmann. “Temos trabalhado de acordo com análise dos resultados e as orientações pedagógicas para continuarmos evoluindo”, completa.

Visando atender essas demandas do ensino, os professores da rede municipal têm recebido formação continuada específica para construção de estratégias na ação pedagógica. Ainda, a jornada dos estudante foi ampliada, sendo feito o reforço escolar, através de oficinas pedagógicas em contraturno.

Quanto à meta estabelecida para o município em 2021, os resultados foram favoráveis, sendo atingido a nota 6,6, ficando acima da média alcançado pelo Paraná.

A avaliação é realizada nos alunos do 5º ano com base em uma prova única aplicada pelo Núcleo Regional de Educação, cujos profissionais não possuem vínculos com o município e são orientados pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira).

Além disso, é exigido presença de 80% dos alunos matriculados em cada turma para atingir o quórum necessário e validar a prova. Em Pato Branco duas escolas não puderam ser computadas na pesquisa por contarem com grande quantidade de alunos afastados do ensino presencial durante os meses de novembro de dezembro do ano passado. Parte em razão de laudos médicos, como também por opção da família em estarem frequentando a escola ainda de forma remota na ocasião em que a pandemia de COVID-19 apresentava maior contaminação.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário