Website oficial do Município de Pato Branco

Notícia

Pato Branco deve adotar fim do toque de recolher, estuda Comitê

Medida aguarda edição de decreto.

Pato Branco deve adotar novas medidas restritivas no combate à covid-19 a partir da próxima semana, conforme apresentado na reunião ordinária do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 nesta quinta-feira (16). Devido à queda do número de novos casos e de óbitos pela doença, o município deve suspender o toque recolher e determinar o retorno total das aulas presenciais. A medida ainda é estudada e aguarda edição de decreto.


De acordo com a assessora jurídica da Secretaria de Saúde, Vanessa Lira, as principais alterações dizem respeito ao fim do toque de recolher, que hoje vigora das 5h à meia-noite, venda e consumo de bebidas no período, além do retorno de todos os estudantes à sala de aula.


“A gente vai acabar com o toque de recolher, deixando o horário livre, até porque os números estão baixos. Vai cair também o limite [de horário] para compra de bebida, só vai continuar proibido o consumo em terrenos baldios. Em relação à escola estudamos permitir 100% da capacidade nas escolas. Só alunos que tenham comorbidade ou alguma justificativa, comprovada com laudo, vão continuar no ensino remoto”, destacou, esclarecendo que cada escola terá autonomia sobre a forma como irá fazer este retorno.


Já em relação aos eventos, eles devem permanecer condicionados à análise e autorização prévia da Vigilância Sanitária, ainda sem a realização de bailes.


As flexibilizações são estudadas em um momento em que o município atingiu queda de 74,5% no índice de novos casos confirmados, de maio até setembro, e com a vacinação já anuciada para pessoas com 18 anos acima.
De acordo com a secretária de Saúde Liliam Brandalise, após a conclusão de todas as faixas etárias na vacinação, o município passará a anunciar a terceira dose, também chamada de dose de reforço, o que deve vir junto de um cronograma estabelecido pela pasta. Ela destacou ainda que, apesar das flexibilizações e do avanço da vacina, as medidas sanitárias ainda devem ser mantidas.


“A vida tem que ir voltando ao normal. Claro que o uso de máscara, os cuidados, a gente precisa continuar tendo, mas flexibilizar para voltarmos à nossa vida ao quase normal é importante neste momento porque os dados epidemiológicos nos deixam mais seguros em relação”, frisou.

FAÇA UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Ainda não existem comentários